Dei um tempo nas redes sociais!

I took a break from the social media - gabischiller.com
Em julho e Agosto fiquei afastada um tempo das redes sociais e foquei mais no meu bem-estar. Vem saber o como foi!

No começo de junho, sem perceber, eu comecei a ficar ansiosa.

GABI SCHILLER IN SPAIN - PARQ GUELL

E o que aconteceu foi um aglomerado de sentimentos e assuntos que estavam acontecendo na minha vida que me deixaram sentindo como se estivesse com uma pedra amarrada no meu sapato. Minha vida não andava, eu sentia como se não tivesse tempo para nada e vivia cansada. Julho chegou e, mesmo faltando 10 dias de férias já planejadas de verão Europeu, aquele sentimento ainda estava dentro de mim.

Pela primeira vez tinha começado a trabalhar em um emprego durante meio período aqui no Reino Unido, a vida de turista desbravadora, empresária trabalhando de casa, estava cansando. Precisava consumir mais, assuntos locais, falar a língua daqui, entender o sotaque deles, o que acontecia na cidade, conhecer gente de outras culturas, normal não é? você querer ser parte do lugar da onde você está morando?! e não só fazer parte de uma bolha?! Vocês não tem ideia do quanto eu evolui como pessoa, sem falar do meu inglês que deu um salto. Mas depois 3 meses trabalhando nesse lugar eu ja senti meu inglês parar de evoluir. E nada nessa empresa contribuía para que eu quisesse permanecer por lá. Mais pra frente eu conto mais sobre essa experiência de vida! 

Eu continuei nesse emprego por mais alguns meses até que chegamos em junho, eu estava sufocada com o meu primeiro emprego aqui na terra da Rainha (usando meu NI ( National Insurance) que é como o governo desconta seus impostos), e não estava achando nenhuma outra solução, eu só sabia que não podia mais ficar lá,  apesar de ter meus próprios clientes e poder prospectar novos clientes, ainda mais agora que meu inglês está much better, não sei o que estava acontecendo. estava me sentindo amarrada e sem inspiração para nada.

GABI SCHILLER IN SPAIN -IMG_6067
GABI SCHILLER IN SPAIN -IMG_6472

Além do mais, alguns projetos que não estavam decolando e aquilo então me deixou muito mais preocupada e ansiosa. Analisando hoje, parece que os dois problemas se emaranharam de uma maneira, que me sufocou. eu não estava sabendo disso àquele tempo, mas estava mexendo com a minha saúde mental e por diante, mexendo com a minha rotina e com meu casamento. 

Estar nas redes sociais naquele momento não foi interessante, porque eu comecei a me comparar com outras pessoas que estavam conseguindo atingir seus objetivos. Ou seja, eu mesma estava causando mais mal ainda à mim mesma. Além do mais, a minha vida é uma coisa, e a delas, outra completamente diferente. Mas ser racional dessa maneira no meio do furação não é simples assim.

Aliado a tudo isso, eu havia concluído que eu estava desperdiçando muito tempo no instagram, lógico que ainda tem os perfis de clientes que eu gerencio, que faz eu passar ainda mais tempo por lá. Eu abria meu celular e sem perceber estava clicando no instagram. Eu precisava parar e me afastar um pouco daquilo. Para postar conteúdo de cliente eu não necessariamente estar logada no instagram. Posso fazer tudo remotamente.

Então as férias chegaram e antes da gente viajar tivemos uma ingrata surpresa. Fomos convidados para ficar na casa de um amigo que nos desconvidou na última hora. Tivemos que achar um hotel há 1 semana antes de partimos, bem no meio de julho. Conseguimos o hotel e também conseguimos ficar alguns dias na casa de outro amigo. Salvos pelo congo! Porém o stress só aumentou, naquele momento.

Eu fui viajar pensando que não era a primeira vez que isso acontecia na minha vida, e nem seria a última. Por isso queria focar mais em mim e nas minhas REAIS prioridades.  Ao final, as férias em Barcelona foram incríveis, fazia muito tempo que eu não tinha uma qualidade de tempo como tive daquela vez, desligar das redes sociais enquanto eu estava viajando, foi enriquecedor para que eu voltasse pra casa muito mais forte, além de muito mais motivada para meus projetos e novas ideias. Falando em empreendedorismo, a cabeça não para né..!?  Lá em Barcelona fizemos novas parcerias e criamos novas ideias de negócios. E estamos abrindo um HUB na Espanha. De fato, tivemos um dia de férias interrompidos porque fomos gravar um casamento em Ibiza. E isso foi melhor ainda. Amo trabalhar com o meu marido! @racreative.uk  

RAFAEL DE AMORIM VIDEOGRAPHER_SES SAVINES_IBIZA
GABI SCHILLER IN IBIZA
GABI SCHILLER IN SPAIN -IMG_6523

Voltamos para Manchester e no dia seguinte eu tinha que ir trabalhar, naquele emprego que eu mencionei acima, aonde eu trabalhava meio período e não tinha tempo para nada, e nem cabeça para nada. Antes de sair de casa eu comecei a tremer e passar mal do estômago. (Meu estômago é o ponto mais vulnerável do meu corpo, por eu ter a síndrome do intestino nervoso) Naquele momento decidi que não poderia mais seguir com aquilo. Cheguei para trabalhar e pedi demissão. A partir daquele dia, senti tudo diferente! 

Na mesma semana, eu refiz marca da firefly.estudio, incorporando tudo que havia sido definido em Barcelona, criei uma marca para uma amiga no Brasil (@veronicafreitasss), comecei a mandar propostas e me senti calma e feliz. O dinheiro lógico ajuda muito nesse momento e eu não estava sem dinheiro. Estava só sem perspectiva de dias melhores, comigo mesma, com os meus objetivos e com pessoas boas ao meu redor.

FIREFLY_CREATIVE_STUDIO_MANCHESTER_BARCELONA_RIO DE JANEIRO
tage simbol logo_green_without flower
GABI SCHILLER IN SPAIN -IMG_6831

No final das contas era aquele emprego que estava causando tudo isso na minha vida. Eu tenho uma qualidade que às vezes acho que é um grande defeito, ser paciente demais. Às vezes, sou paciente demais com coisas ou pessoas que não valem a pena. E isso me afeta de uma maneira... como mencionei acima! 

Aqui fica minha experiência, para que você não passe pelas mesmas coisas. Ninguém, nem meu marido imaginava o que estava acontecendo comigo. Viajando praticamente todos os meses (nosso objetivo morando aqui na Europa é conhecer o máximo de lugares possíveis até voltarmos (se voltarmos) para o Brasil, e levando uma "vida maravilhosa" só nas redes sociais, pessoalmente era completamente diferente e eu entendo que aquelas viagens todas fizeram parte não só do nosso maior objetivo como também foram uma rota de fuga para meu problemas. Mas eu não quero ter rotas de fugas de problemas, eu não preciso, nem você precisa, aturá-los. Faça suas próprias escolhas e não as tema de forma alguma.

You May Also Like