De repente 30 ou nem tão de repente assim

Mais um ano, mais um aniversário. Só que dessa vez foi virada de século e eu resolvi falar um pouco do que eu senti sobre isso.
de repente 30

"Tudo o que você passa, amadurece você"

de repente 30

Dia 25 de maio completei 30 anos. 3 décadas de vida! 🎉🎉🎉 Bem diferente do filme De Repente 30, aonde a Jenna sonha em ser adulta pois ela acha que as coisas serão mais fáceis, eu sempre tive uma ideia totalmente contrária. Eu não queria crescer e muito menos me tornar adulta. Eu sempre fui muito detalhista e muito observadora, e sempre via os adultos brigando, discutindo, falando de problemas, e eu olhava aquilo e pensava comigo, eu não quero ser adulta, está tão legal aqui, ainda mais nos anos 90. Mas a vida é implacável. E aqui estou, com 30 anos. 

de repente 30

Chegando aos 20 eu pensava que um dia eu iria completar 30 anos e o que vinha na minha cabeça era pura angústia e pavor, de ficar velha. É engraçado como em 10 anos as coisas mudam. Naquele tempo quem tivesse seus 40 anos e poucos já se consideravam velhos. A sociedade está mudada. Não falamos mais essas coisas. Quem vive nos tempos de hoje busca uma vida mais sossegada, mais saudável e prazeirosa. Estou feliz por que esse sentimento passou, essa janela de 10 anos me trouxe muito conhecimento, aprendizado, às vezes depois de errar, e muito. Me sinto infinitamente mais madura e parando para refletir, eu me sinto muito melhor hoje. Lógico que não tenho mais o pique de “criança”, mas agora sei apreciar mais a vida e saber com o que eu perco tempo ou não. Isso, aliás, é outra coisa que eu percebi muito, ao longo desses anos. Eu cheguei num momento em que eu disse CHEGA. Chega de perder tempo com coisas fúteis, chega de perder tempo com briguinhas idiotas, falando mal dos outros, e principalmente, chega de dar atenção para quem só te suga. 

de repente 30
IMG_7789 3

Outra coisa que eu aprendi de uma forma, digamos, natural, foi o desapego. A minha mudança do Brasil para o Reino Unido foi um teste de fogo. Fazia apenas 3 meses que eu havia alugado um apartamento vazio, comprado varios móveis, eletrodomésticos e inclusive um coelho (Sempre quis ter um), fora os meus dois cachorros, e, de repente, resolvi ir embora. Morar fora sempre esteve em meus planos, sempre foi um sonho falar ingles fluentemente e lá no fundo eu sabia que era minha última oportunidade. Então eu fui. Não só desapeguei das coisas materiais, mas como desapeguei do coelho, dos meus dois cachorrinhos, dos amigos, da familia, uma faculdade no 9° período. É, eu tive que deixar muita coisa pra trás, só não larguei a empresa, pelo fato de poder realizar trabalhos da onde quer que eu esteja, isso eu pude dar continuidade. Além disso, eu tive 1 mês para entregar o apartamento e tirar todas as minhas coisas de lá, então eu doei muita, mas muita coisa, e sempre ouvia, você vai mesmo doar isso? Eu rebatia: dessa vida eu só levarei lembranças. Foi nessa hora que eu percebi que deveria ser menos consumista e como praticar esse hábito é bom.

de-repente-30-gabi-schiller

Eu cheguei a conclusão que nós somos fases e o que plantamos hoje, colhemos amanhã. Olhando para trás me sinto feliz no que me tornei hoje. Nem todo mundo conhece o lado Gabi pessoa. Mas, afinal, esse blog é justamente para isso, né? Espero que daqui 10 anos esteja trocando muito conhecimento com vocês.

Eu só tenho a agradecer ao apoio de todo mundo que me da suporte na minha vida. E hoje sou tão feliz, que não desejo nada mais do que o que tenho. ♥️ Muito obrigada!

SHOP THE POST

You May Also Like